HUMANIZAÇÃO E AFETIVIDADE NA PRODUÇÃO DE SAÚDE EM COMUNIDADES URBANAS – PRODUÇÃO E DIFUSÃO DE CONHECIMENTOS

Fábio da Silva Reis, Tainá Cardoso dos Santos Pires, Luciene Lessa Andrade

Resumo


O estudo da temática humanização e afetividade no atendimento em saúde é de suma importância, uma vez que propicia um atendimento calcado em princípios como integralidade, equidade e universalidade na assistência em saúde. No atendimento primário, cada equipe multidisciplinar prescinde de agentes comunitários de saúde (ACS) como trabalhadores que atuam em importantes programas do Ministério da Saúde como o Programa Agente Comunitário de Saúde (PACS). Esta pesquisa cujo objetivo foi demonstrar a importância da humanização e afetividade para a difusão de conhecimentos em saúde, teve como procedimentos para coleta de dados: observação das reuniões da equipe do PACS; aplicação de entrevistas semiestruturada servidores de uma Unidade Básica de Saúde(UBS) na cidade de Salvador.Após tratamento dos dados, pode-se inferir que a difusão de conhecimentos, para o ACS é um fator crucial, uma vez que ele é um elo de grande importância entre a UBS e a comunidade na circulação dos conhecimentos sobre saúde. Pode-se inferir também sobre a necessidade de encontrar caminhos mais humanizados para a difusão dos conhecimentos na produção de saúde, sobretudo na Atenção Básica, para contribuir com mais resolutividade nos processos, humanizando a saúde pública, além de minimizar gastos.


Palavras-chave


Humanização. Difusão de Conhecimentos. PNH.

Texto completo:

204-207

Referências


ANDRADE, L.L; SILVA, N.S.M; LOPES, E.M. Humanização, afetividade e responsabilidade social na atuação do agente comunitário de saúde. CongresoIberoamericano de Ciencia, Tecnología, Innovación y Educación. Buenos Aires, Argentina, 2014.

CAPAZZOLO, A. A. et al. Experiência, produção de conhecimento e formação em saúde. Interface (Botucatu), v. 17, n. 45, p. 357-70, 2013.

CASATE, Juliana Cristina; CORRÊA, Adriana Katia. Humanização do atendimento em saúde: conhecimento veiculado na literatura brasileira de enfermagem. Revista latino-americana de Enfermagem, v. 13, n. 1, p. 105-111, 2005.

COTTA, Rosângela Minardi Mitre et al. Debates atuais em humanização e saúde: quem somos nós. Ciênc saúde coletiva, v. 18, n. 1, p. 171-9, 2013.

CLEONICE, depoimento [jun. 2016]. Entrevistadores: L. Andrade e F. Reis. Salvador BA. Entrevista concedida ao Projeto Humanização e Afetividade. 2016.

DESLANDES, Suely Ferreira et al. Processo comunicativo e humanização em saúde. Interface Comun Saúde Educ, v. 13, n. Supl 1, p. 641-649, 2009.

SOUSA, Alana Tamar Oliveira de. O CUIDAR HUMANIZADO NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA. Saúde. com, v. 6, n. 2, 2016.

FILGUEIRAS, Andréa Sabino; SILVA, Ana Lúcia Abrahão. Agente Comunitário de Saúde: um novo ator no cenário da saúde do Brasil. Physis (Rio J.), v. 21, n. 3, p. 899-916, 2011.

MOTA, Roberta Araújo; MARTINS, CG de M.; VÉRAS, Renata Meira. Papel dos profissionais de saúde na política de humanização hospitalar.Psicologia em Estudo, v. 11, n. 2, p. 323-330, 2006.

OLIVEIRA, Beatriz Rosana Gonçalves; COLLET, Neusa. Humanização , NOS CUIDADOS A. Humanização Assistência à Saúde na. Rev Latino -am Enfermagem, v . 14 , n . 2 , p . 277-84 , 2006 .


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Faculdade de Tecnologia e Ciências, FTC.