HUMANIZAÇÃO NA PRODUÇÃO DE SAÚDE EM COMUNIDADES URBANAS – PROJETO ACOLHIMENTO

Luciene Lessa Andrade, Tainá Cardoso dos Santos Pires

Resumo


Em saúde, acolher significa humanizar o atendimento, pressupondo um acesso garantido de todos os indivíduos. Envolve a escuta qualificada dos problemas do usuário, tendo consciência de que ele espera uma solução, esperando sempre uma resposta positiva, a qual deve ser responsabilidade do profissional. Assim sendo, o acolhimento deve assegurar a resolução efetiva da adversidade do paciente, sendo este o objetivo primordial do trabalho em saúde (SOLLA, 2005). Esta pesquisa objetivou demonstrar a relação entre afetividade e humanização na atividade laboral dos profissionais em uma unidade básica de saúde. Utilizando metodologia qualitativa este estudo foi dividido em dois períodos. Durante o primeiro período foi realizada uma revisão nos portais científicos SCIELO e LILACS, afim de embasar teoricamente o projeto. Em seguida foram realizadas acompanhamento de reuniões semanais do Programa de Agentes Comunitários de Saúde – PACS, com os ACS e a coordenação direta do programa. Em paralelo foram realizadas entrevistas semiestruturadas, agendadas previamente na unidade de saúde em que os ACS estavam vinculados. As entrevistas só ocorreram após assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido – TCLE. As entrevistas foram transcritas, respeitando a grafia e a sintaxe utilizadas pelos sujeitos. Neste estudo, de natureza qualitativa, realizado em determinada realidade e contexto, fica evidente a importância de se pensar ações e estratégias no processo de trabalho das Unidades Básicas de Saúde e com os diversos programas aí desenvolvidos, incluindo os ACS, no propósito de construirmos uma atenção mais humanizada e integralizada na saúde.


Texto completo:

181-184

Referências


ARAÚJO Marize Barros de Souza; ROCHA Paulo de Medeiros. Trabalho em equipe: um desafio para a consolidação da estratégia de saúde da família. Ciência & Saúde Coletiva, 12(2):455-464, 2007

BARRETO, M. A consciência, o marco da nova humanidade. Cairu em Revista. Sociedade, Educação Gestão e Sustentabilidade. 2011, nº 0 – ano 1 – Out/Nov de 2011. ISSN 2237-7719

BEZERRA, R. S.; CARVALHO, E. L. Profissionais de saúde e dispositivos de mediação na atenção básica. Recife: Editora Universitária UFPE; São Paulo: ABRASCO, 2011. p. 149-160.

BOCAYUVA, Pedro Claudio Cunca; VARANDA Ana Paula de Moura.(Orgs.) Tecnologia social, economia solidária e políticas públicas Rio de Janeiro :FASE : IPPUR, UFRJ, 2009.

CAVALCANTE FILHO, J. B. et al. Acolhimento coletivo: um desafio instituinte de novas formas de produzir o cuidado. Interface – Comunicação, Saúde, Educação, Botucatu, v. 13, n. 31, p. 315-328, 2009.

SILVA, Joana Azevedo da & DALMAZO, Ana Sílvia Whitaker. O agente comunitário de saúde e suas atribuições: os desafios para os processos de formação de recursos humanos em saúde. Interface - Comunic, Saúde, Educ, v6, n10, p.75-96, fev 2002

SOLLA, J.J.S.P. Acolhimento no sistema municipal de saúde. Rev. Bras. Saúde Mater. Infant. [online]. 2005, vol.5, n.4, pp. 493-503. ISSN 1806-9304.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Faculdade de Tecnologia e Ciências, FTC.