PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS PACIENTES VÍTIMAS DE QUEDAS EM HOSPITAL DE REFERÊNCIA NA REDE SUS NA BAHIA

Fernanda Correia Ferreira, Gabriella Aguiar Santos Faria, Luiza Meira de Azevedo Souza, Luiza Poliana dos Anjos, Merson Silva de Almeida, Leila Mazarakis

Resumo


. As causas externas constituem um grande agravo para a saúde pública no Brasil e as quedas são uma parcela bastante significativa desse total. Os acidentes por quedas estão ou estarão presentes, em algum momento, na vida de todas as pessoas, e suas consequências podem ser graves, resultando em incapacidades, podendo impactar fortemente na morbi-mortalidade dos indivíduos. O presente artigo tem como principal objetivo buscar identificar o perfil epidemiológico mais prevalente em tais agravos, e, com isso, direcionar, adequadamente, as principais ações de medidas preventivas.   Pesquisa de corte transversal, com a análise de 533 prontuários de vítimas de causas externas atendidos no Setor de sutura do Hospital Geral do Estado (HGE), no município de Salvador, de outubro de 2015 á março de 2016. Foi utilizada a técnica de amostragem não-probabilística, por conveniência.   Dos prontuários analisados, as quedas representaram a maior porcentagem desses agravos com 125 vítimas (23,5%). O perfil mais prevalente neste estudo foram homens negros solteiros, havendo duas faixas etárias de maior relevância: de 30 a 39 anos e acima de 60 anos. Em relação aos níveis de quedas, não houve diferença significativa, sendo quedas do mesmo nível ou em níveis diferentes tendo a mesma parcela de acometimento. A maior parte da população estudada apresentou um desfecho clínico favorável, evoluindo com alta (83,2%).  A partir do presente estudo pode-se traçar o perfil epidemiológico das vítimas de quedas, assim como relacionar os principais desfechos clínicos e as especificações de queda (mesmo nível ou nível diferente). Levando em consideração a importância desses agravos no cotidiano, o estudo mostra-se relevante para o direcionamento, a criação e a implantação de medidas preventivas.

Palavras-chave


Quedas. Epidemiologia. Causas Externas. SUS

Texto completo:

51-64

Referências


Nery AA, Alves MS, Rios MA, Assunção PN, Matos Filho AS. Perfil epidemiológico da morbimortalidade por causas externas em um hospital geral. Rev enferm UFPE on line., Recife, fev., 2013.

Malta DC, Alves SMM, Mascarenhas MDM, Bandeira de Sá MM, Morais Neto OL, Bernal RTI, Monteiro RA, Andrade SSCA, Gawryszewski VP. Características e fatores associados às quedas atendidas em serviços de emergência. Rev Saúde Pública 2012;46(1):128-37.

Rossetto M, Bueno ALM, Lopes MJM. Internações por quedas no Rio Grande do Sul: Intervenções de enfermagem partindo de fatores ambientais. Rev Enferm UFSM 2014 Out/Dez; 4(4):700-709.

Poll MA, Heck TW, Engel RH, Borges TAP, Rios AO, Carpes VAC. Quedas de crianças e de adolescentes: prevenindo agravos por meio da educação em saúde. Rev Enferm UFSM 2013; 3 (Esp.):589- 598.

Peixoto TM, Artelosa RCC, Silva LAT, Santos TSM. Causas e consequências de quedas em idosos atendidos no hospital de Santo Estevão, BA. Revista Biociências, Taubaté, v. 21, n. 2, p. 93-100, 2015 (ISSN 1415-7411).

Mascarenhas MDM, Barros MBA. Evolução das internações hospitalares por causas externas no sistema público de saúde – Brasil, 2002 a 2011. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, 24(1):19-29, jan-mar 2015.

Settervall CHC, Domingues CA, Sousa RMC, Nogueira LS. Mortes evitáveis em vítimas com traumatismos. Rev Saúde Pública. 2012;46(2):367-75.

Gonsaga RAT, Rimoli CF, Pires EA, Zogheib FS, Fujino MVT, Cunha MB. Mortalidade por causas externas em uma microrregião do estado de São Paulo. Rev Col Bras Cir. [periódico na Internet] 2012; 39(4). Disponível em URL: http://www.scielo.br/rcbc.

CoccoI M, LopesII MJM. Morbidade por causas externas em adolescentes de uma região do município de Porto Alegre. Rev. Eletr. Enf. [Internet]. 2010;12(1):89-97. Available from: http://www.fen.ufg.br/revista/v12/n1/v12n1a11.htm.

Paes CEN , Gaspar VLV. As injúrias não intencionais no ambiente domiciliar: a casa segura. Jornal de Pediatria - Vol. 81, Nº5(Supl), 2005.

Gaspar VLV, Souza ECO, Carmo JH, Pereira WD. Características de crianças e adolescentes hospitalizados em decorrência de causas externas. Rev Med Minas Gerais 2012; 22(3): 287-295.

Ministério da Saúde. Vigilância de violência doméstica, sexual e/ou outras violências: Viva/Sinan – Brasil, 2011. Boletim Epidemiológico. Volume 43, Nº9, 2013.

Matos KF, Martins CBG. Perfil epidemiológico da mortalidade por causas externas em crianças, adolescentes e jovens na capital do Estado de Mato Grosso, Brasil, 2009.Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, 21(1):43-53, jan-mar 2012.

Secretaria da Saúde do Estado da Bahia, Diretoria de Vigilância Epidemiológica. Boletim epidemiológico de causas externas. Jun, 2013.

Ribeiro BS, Guimarães DM, Oliveira DV, Xavier DJ, Rios PAA. Evolução dos custos de internação por causas externas no estado da bahia, no período de 2008 a 2011. Anais do IV Simpósio de Saúde Pública da Região Sudoeste: O SUS e a saúde do idoso. v.1, 2012.

Martins CBG. Acidentes na infância e adolescência: uma revisão bibliográfica. Rev Bras Enferm 2006 maio-jun; 59(3): 344-8.

ATLS. Advanced Trauma Life Support for Doctors. 8.ed. Chicago: American College of Surgeons; 2008.

Mascarenhas MDM, Barros MBA. Caracterização das internações hospitalares por causas externas no sistema público de saúde, Brasil, 2011. Rev Bras Epidemiol Out-Dez 2015; 18(4): 771-784.

Maciel SSSV, Maciel WV, Teotônio PM, Barbosa GG, Lima VGC, Oliveira TF, Silva ETC. Perfil epidemiológico das quedas em idosos residentes em capitais brasileiras utilizando o Sistema de Informações sobre Mortalidade. Revista da AMRIGS, Porto Alegre, 54 (1): 25-31, jan.-mar. 2010.

Gomes ECC, Marques APO, Leal MCC, Barros BP. Fatores associados ao risco de quedas em idosos institucionalizados: uma revisão integrativa. Ciência & Saúde Coletiva, 19(8):3543-3551, 2014.

Gazal-Carvalhoa C, Carlini-Cotrima B, Silvab AO, Sauaiaa N. Prevalência de alcoolemia em vítimas de causas externas admitidas em centro urbano de atenção ao trauma. Rev Saúde Pública 2002;36(1):47-54.

Freitas EAM, Mendes ID, Oliveira LCM. Ingestão alcoólica em vítimas de causas externas atendidas em um hospital geral universitário. Rev Saúde Pública 2008;42(5):813-21.

Gawryszewski VP. A importância das quedas no mesmo nível entre idosos no estado de São Paulo. Rev Assoc Med Bras 2010; 56(2): 162-7.

Ribeiro, A.P.; Souza, E.R. de; Atie, S., Souza, A. C. de; Schilithz, A. O. A influência das quedas na qualidade de vida dos idosos. Ciência & Saúde Coletiva, 13 (4):1265-1273, 2008.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Faculdade de Tecnologia e Ciências, FTC.